Entretenimento

Término entre empresários expõe escândalo na alta sociedade com acusação de estelionato e lavagem de dinheiro

Divulgação

O escândalo na alta sociedade envolve valores milionários após um falso investimento de 300 mil dólares

Publicado em 23/01/2022, às 11h55    Divulgação    Redação

O que era para ser o fim de uma relação amigável, se transformou em um verdadeiro escândalo. Depois de terem um relacionamento de cinco anos, os empresários Alvaro Garnero, que teve o filho envolvido em uma polêmcia com Ronaldo Fenômeno, e Cristiana Arcangeli agora se enfrentam em uma batalha judicial, que envolve muito dinheiro e acusação de crimes como estelionato e lavagem de dinheiro.

Segundo informações divulgadas pelo colunista Leo Dias, do site Metrópoles, dois anos após o fim do relacionamento, em 2017, Alvaro teria convencido Cristiana, que é CEO da Beauty’in e um dos principais nomes no ramo de cosméticos no Brasil, de fazer um alto investimento em criptomoedas, mais precisamente 300 mil dólares.

De acordo com a publicação, consta no processo que o combinado entre o ex-casal era que o retorno obtido com o montante seria investido em uma empresa chamada Híbridos. De titularidade de Hélio Caxias Ribeiro Filho e Thalia Alves Andrade Ribeiro, a empresa já estava sendo investigada por estelionato.

No entanto, parece que o investimento em criptomoedas nunca aconteceu. Isso porque Cristiana acusa o ex-namorado de ficar sem dar informações sobre o valor por meses e, depois disso, recebeu alguns depósitos que não chegaram a totalizar 100 mil dólares.

Leia também

Acontece que, segundo o colunista, no computador utilizado por Hélio, da MPB PERNAMBUCO – pessoa jurídica operadora da Meu Pé de Bitcoin, consta uma lista de clientes da Híbridos e nessa lista não está o nome de Cristiana. Com isso, existe a suspeita de que Alvaro não tenha feito nenhum investimento com o dinheiro de Cristiana, e que, na verdade, ele fazia parte da Híbridos, que responde a dezenas de processos.

Com o processo correndo na Justiça de São Paulo, a vítima busca receber de volta o valor investido. Porém, caso o montante fosse convertido em criptomoedas, como prometido, a empresária teria atualmente quase trinta milhões de reais em mãos. Ou, mais precisamente, R$ 29.804.927,77.

Siga o BNews no Google Notícias e receba os principais destaques do dia em primeira mão

Classificação Indicativa: Livre