Colunas / Na Sombra do Poder

Na Sombra do Poder: Claudio Melo é nitroglicerina pura

Tudo sobre os bastidores da política baiana

Publicado em 06/10/2016, às 04h35    Arquivo / Bocão News    Editoria de Política

Claudio Melo é nitroglicerina pura           

O executivo da Odebrecht, um dos responsáveis pelo setor de operações estruturadas da mega empreiteira, resolveu abrir o bico geral. Em Brasília, fale-se que não vai ficar pedra sobre pedra quando ele acabar de falar. Aqui, na Bahia, já é certeza de que sua delação foi devastadora para muita gente graúda, e miúda também. Foi todo mundo no bolo do jovem diretor. Vale lembrar que até dono de restaurante japonês na capital federal ele já foi. Arigatô! Sayonarah...

PMDB em apuros                        

A delação do executivo Claudio Melo da Odebrecht, conhecido como "Dão Melo" pelos mais íntimos, pega em cheio os caciques do PMDB. Ele afirmou, segundo um site nacional, ter distribuído propina a torto e a direito para a "galera" do partido que comanda a República... Por aqui, na Bahia, dizem que quase ninguém escapa.                        

Otto, o último biscoito do pacote        

O senador Otto Alencar tem virado o menino dos olhos e pode ser o fiel da balança das eleições para governador em 2018. De um lado, ACM Neto (DEM), que flerta com ele, e do outro Rui, que tenta conservá-lo no quadro governista. Mas não é pra menos: um poder de articulação que poucos tem e 82 prefeitos espalhados pelo interior do estado...

Divórcio a vista       

Após ACM Neto (DEM) apoiar Bebeto (PSB) em Ilhéus e o seu Sintepav apoiar Leo Prates (DEM) para vereador, os rumores aumentaram, e muito, sobre um possível namoro do PSB com a gestão do prefeito soteropolitano. A insatisfação do partido com o espaço dado na gestão do Correria seria também um forte apelo para o "pulo "do barco de Rui" e embarque na gestão de Netinho.

Negromonte na "UTI"                        

Quem conhece as entranhas da capital federal e das operações da PF garantem que o ex-ministro das cidades Mario Negromonte estaria nas "últimas" para safar-se da Lava Jato. A busca e apreensão em seu apartamento na terça-feira foi um ultimato e um aviso avisando que o pior está por vir.                        

PT e Propeg embaraçados?               

Muitos perguntam o que tem de relação a operação Hidra de Lerna, que envolveu PT e Propeg. A agência, que sempre foi ligada 100% à gestão carlista, dessa vez foi envolvida em um embaraço com a turma do PP e a turma do PT baiano. Dizem que ela acendeu uma vela para Deus e outra para o diabo nos últimos anos. Muita coisa pesada pode surgir.

Guerra de Titãs

A guerra anunciada para a presidência da Câmara Municipal de Salvador já está em curso. De um lado, Paulo Câmara (PSDB) e do outro Geraldo Jr (SD). Ambos já mostraram suas armas e agora estão no corpo a corpo. Quem está rindo à toa é o prefeito ACM Neto. Fontes ligadas ao Palácio Thomé de Souza garantem que ele não aceita de jeito nenhum o atual presidente. Por outro lado ele não "se bate" muito com o estilo de Geraldinho. Ele estaria trabalhando em silêncio para levar seu afilhado Leo Prates ao apogeu do Legislativo municipal contra tudo e contra todos. Para a missão já havia soltado seus pitbulls Sílvio (PSDB), Bellintani (DEM), Bruno Reis (PMDB) e João Roma (PRB) para cooptaram os 22 edis necessários. Abram o olho PC e Geraldo.

Karina pegando e agarrando

Quem tá na pegada da pá-virada é a prefeita de Amargosa, Karina Silva. Após dizer que sairia para reeleição e arrumar a vida de vários correligionários, decidiu recuar e apoiar o candidato Rosalvinho (PV), ex-prefeito arrolado em vários processos na Justiça. Depositou todas as fichas na eleição e deu com burros n’água: Júlio Pinheiro (PT), seu rival, venceu o pleito. Agora a mulher começou uma caça as bruxas na cidade a começar pelos cargos comissionados da prefeitura que ela descobriu que não votou em seu candidato e, segundo informações, começou a espalhar a caça para comerciantes e feirantes amargosenses.

O Saruê de Coité

Dois aspectos marcaram a campanha eleitoral na cidade de Conceição do Coité. O candidato da situação, o prefeito Assis (PT), ganhou o apelido dos opositores de Saruê, em referencia ao coronel da novela Velha Chico da TV Globo. O opositor, Vertinho (DEM), era chamado pelos próprios aliados de Galo Cego, uma referência a um galo bom de briga. Pois bem, passada a eleição, o petista saiu vitorioso da urna e entrou para a história coiteense como o primeiro prefeito reeleito na cidade. O povo na hora da pirraça não perdoa: fizeram o prefeito tirar foto com um galo na mão para relembrar a cena do Coronel Saurê (o original da novela) que andava para cima e para baixo com a ave.

Branco? SQN

Tem vereador na Câmara Municipal que não deve ter espelho em casa ou tem algum complexo com a questão racial. Só pode! Clistenes Bispo, ou melhor, Kiki Bispo colocou no site do TSE que é branco. No levantamento feito pelo site a resposta do edil no quesito “raça/cor” foi “branca”. Era só o que me faltava!

A sorte de matusalém

Antiguidade é posto! Já diz o velho ditado, e para o vereador reeleito Téo Senna caiu como uma luva como diz o dito popular. Ele teve o mesmo número de votos que Fábio Souza, ambos do PHS, mas obteve a vaga por conta da idade, primeiro critério de desempate nesses casos. Foram 6.922 votos para cada vereador. Fabio perdeu o lugar por ser mais novo.

Eleição do zap zap

O ex-deputado estadual Capitão Tadeu (PSB) se deu mal na campanha deste ano a vereador de Salvador. Não colocou o bloco de fato na rua e era tido como uma das grandes apostas do PSB soteropolitano. Certa feita questionado por seus serviços, um correligionário descobriu que ele estava crente abafando que faria eleição administrando seus 30 grupos do whatsapp.

De dentro pra fora e de fora para dentro

O PRB, capitaneado pela deputada federal Tia Eron, conseguiu tirar bom proveito das eleições deste ano. Em Salvador, conseguiu eleger todos os três nomes que foram indicação do núcleo duro político da Universal. Por outro lado, correndo por fora da igreja, o partido conseguiu emplacar nove prefeituras e com risco de fazer mais uma e nenhuma com vinculação mais forte com a questão religiosa.

Classificação Indicativa: Livre