Polícia

“Quebra as pernas do crime organizado”, diz Secretário da Segurança Pública sobre regulamentação das drogas

Vagner Souza/BNews

Secretário conversou com a reportagem nesta terça-feira (14)

Publicado em 14/09/2021, às 13h33    Vagner Souza/BNews    Brenda Viana e Nilson Marinho

O secretário da Segurança Pública da Bahia, Ricardo Mandarino, comentou sobre a possibilidade das drogas no estado serem tributadas. Em conversa ao BNews nesta terça-feira (14), durante a inauguração das novas sedes do Serviço de Assistência Jurídica para os servidores, ele falou sobre o assunto.

Filho único, tenente da PM assassinado em Cosme de Farias estava há seis anos na corporação

“A polícia do estado não é milícia, não é matador”, diz secretário da Segurança Pública após mortes de PMs

Bandidos matam tenente da Rondesp em Cosme de Farias

“O debate é sério. É um debate de saúde pública. Se você regulamentasse o comércio de drogas, tributando as drogas, a primeira coisa que você quebra seria as pernas do crime organizado. Eles não vão ter mais a necessidade de ficar matando as pessoas, discutindo para disputar pontos de drogas”, comentou o secretário.

Ainda na conversa, ele relembra que não apenas a Bahia, mas o país inteiro está com o índice alto de violência, principalmente por conta do tráfico de drogas. “O país tomado pela violência. Nós estamos nos referindo ao tráfico de drogas. 80% dos crimes, dos homicídios, tem origem direta e indiretamente do tráfico de drogas nas disputas de ponto”, pontuou.

Leia mais:

Secretaria de Segurança da Bahia cobra investigação célere da morte de PM baiano em Pernambuco

Rui Costa pede transparência na investigação após morte de PM baiano em Pernambuco

Salvador e RMS registram 12 homicídios neste fim de semana

Mandarino reforça que não é a favor das drogas, mas ironiza que a sociedade é hipócrita por não concordar com a tributação das drogas, principalmente relacionado à classe média alta no estado, exemplificando a Praia do Forte.  

“A solução é a sociedade discutir e acabar com essa hipocrisia a regulamentação das drogas. (...)  A Praia do Forte é um lugar tranquilo, é um paraíso, não tem violência, mas o pessoal lá consome droga. Lá tem tráfico de drogas. Quem consome a droga de lá são os ricos, a classe média. Esse pessoal que financia essa violência, então a sociedade tem que parar com essa hipocrisia. Quando a gente debate é isso, aparece um monte de idiota para falar que você é maconheiro”, ironiza.

Leia também:

Tenente da PM assassinado em Cosme de Farias é enterrado sob forte comoção

Número de PMs mortos na Bahia em 2021 já supera o total do ano passado

Assista: Após morte de tenente, suspeito faz família refém em Cosme de Farias

Acompanhe o BNews também nas redes sociais através do Instagram, do Facebook e do Twitter.

Classificação Indicativa: Livre