Polícia

Sindicato da Polícia Civil sai em defesa de delegada Heloisa Brito e rebate críticas de deputado

Arquivo BNews

Marcelo Nilo teria dito que a servidora não atende os parlamentares

Publicado em 22/09/2021, às 16h41    Arquivo BNews    Redação BNews

Após as críticas do deputado federal Marcelo Nilo (PSB-BA) à Delegada-Geral Heloisa Campos Brito, o Sindicato dos Delegados de Polícia do Estado da Bahia (ADPEB) saiu em defesa da servidora através de nota oficial. Segundo o site Política Livre, o parlamentar disse que “é mais fácil falar com o Papa Francisco” do que com a servidora e teria levado o descontentamento com a delegada ao secretário de Relações Institucionais do governo, Luiz Caetano.  

“O Sindicato dos Delegados de Polícia do Estado da Bahia (ADPEB) vem a público externar seu mais irrestrito apoio e solidariedade à Delegada-Geral Heloisa Campos Brito, ante o comportamento desarrazoado e deselegante do deputado”, diz trecho da nota. 

Leia Também:Nova delegada-geral da Polícia Civil defende expansão de assistência no combate à violência contra a mulher

“Em suas declarações o parlamentar refere-se de forma grosseira a uma profissional que gere uma honrosa e importante instituição do sistema de justiça penal. Embora destemperada, a declaração do apontado congressista precisa ser replicada para que saibamos como age aquele que do alto de sua vaidade e falta de compostura não permite sequer ser contrariado ou não ter um pedido aceito por uma instituição, que não foi criada e nem exerce suas funções para atender aos caprichos políticos de quem quer que seja, desprezando o dever urbanidade exigido a todos os civilizados”, diz o sindicato. 

Coordenador da bancada baiana na Câmara dos Deputados, Nilo teria afirmado também que esse é um descontentamento de outros parlamentares baianos. “O deputado Marcelo Nilo declarou que não somente ele, mas outros deputados não são atendidos em audiência pela Delegada-Geral e que por isso “é mais fácil falar com o Papa Francisco” e completando seu inadequado comportamento reforçou seu tom desrespeitoso dizendo: “quem tem uma delegada como Heloísa não precisa de inimigo”. “Percebe-se de sua última fala a prepotência e a arrogância de quem entende que a Polícia Judiciária deve prestar-lhe favores. Não se referir ao quanto lhe foi negado é no mínimo irresponsável ou o fez de forma deliberada na tentativa de esconder pedidos que não se sustentam legalmente”.

“A ADPEB tem convicção que o comportamento inadequado do deputado não representa a categoria política e, menos ainda, o Parlamento Brasileiro, mas não aceitará qualquer demonstração de interferência política na Polícia Civil da Bahia, mormente nas atividades dos delegados de polícia, muito bem delineada nos preceitos constitucionais e em nossa Lei Orgânica. Sendo assim, reafirmamos o irrestrito apoio e solidariedade a Dra. Heloisa Campos Brito, nossa honrada Delegada-Geral”, finaliza.

Leia mais:

Rui Costa envia para AL-BA alteração na lei de gratificação por atribuições cumulativas de delegados da Polícia Civil

Delegado Deraldo Damasceno é exonerado da delegacia do Nordeste de Amaralina

Classificação Indicativa: Livre