Polícia

Argentino fatura mais de R$ 50 milhões com fraude expansiva de grupo

Reprodução/Facebook
Justiça da Argentina solicita a extradição do réu de 47 anos responsável pela fraude  |   Bnews - Divulgação Reprodução/Facebook

Publicado em 09/06/2024, às 10h24   Pedro Moraes



Mais de 50 pessoas foram fraudadas por um homem em 10 milhões de dólares (cerca de R$ 53,4 milhões). Por causa do crime, o argentino foi preso, neste sábado (8), em Venice, na Califórnia, nos Estados Unidos. Identificado como Máximo Witte, ele possuía mandado de prisão internacional e era intensamente procurado pela Interpol.  

Inscreva-se no canal do BNews no WhatsApp. 

Entre as vítimas estão familiares e amigos. "Aparentemente, com falsas promessas ao seu círculo íntimo (incluindo amigos e familiares), Witte teria oferecido taxas de juro muito superiores às do mercado, operando fora do sistema bancário", detalhou fontes da Alfândega, que depende da Administração Federal de Receitas Públicas (AFIP), ao jornal La Nacion.

Uma denúncia recebida pela Alfândega fez surgir a investigação. Ele teria montado um “esquema Ponzi”, espécie de esquema de pirâmide que usa recursos de investidores mais recentes para pagar lucros aos investidores anteriores.

Existe a hipótese de que o preso, de 47 anos, recorreu ao mercado criptográfico para branqueamento de bens.

Classificação Indicativa: Livre

FacebookTwitterWhatsApp