Política

CPI da Pandemia: Coronel classifica como “incógnita” o depoimento de Pazuello

Jefferson Rudy/Agência Senado

Publicado em 19/05/2021, às 09h45    Jefferson Rudy/Agência Senado    Victor Pinto

Contatado pelo BNews minutos antes do início da reunião da CPI da Pandemia, o senador da Bahia, Angelo Coronel (PSD), questionado sobre a expectativa do depoimento de Eduardo Pazuello afirmou ser uma grande “incógnita”.

O ex-ministro da Saúde participa da comissão como testemunha para prestar esclarecimento da sua atuação frente a pasta durante um dos momentos mais críticos da pandemia do novo coronavírus

“É uma incógnita se ele responderá ou não as perguntas. Por isso a expectativa”, disse o pessedista. A dúvida está sobre o alcance e uso que será feito pelo ex-ministro do Habbeas Corpus concedido pelo Supremo Tribunal Federal (STF) que garante o direito de Pazuello ficar calado quando assim entender que pode se autorincriminar. 

Contudo, o HC não cobre reposta do ex-ministro sobre terceiros. Essa deve ser a linha adotada pelo relator, Renan Calheiros (MDB-AL). 

O ex-ministro é investigado pela caos na saúde pública em Manaus, no Amazonas, com a escassez de oxigênio. O tema deve ser um dos mais importantes nesta sessão.

Ele também deverá explicar o motivo da não assinatura do contrato com a Pfizer em agosto de 2020, que poderia antecipar a vacinação contra a doença no país.

O vice-presidente da CPI, o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) confirmou que o objetivo da oitiva é "apurar" a "lentidão" na negociação por imunizantes, a falta de testagem e na escolha pelo "negacionismo em detrimento da prevenção".

Classificação Indicativa: Livre