Política

Projeto em tramitação na AL-BA proíbe homenagens a escravocratas na administração estadual

Reprodução/Abet

Vedação se aplicaria tanto a honrarias, condecorações, denominação de rodovias, de prédios e locais públicos, quanto a edificação e instalação de bustos, estátuas e monumentos

Publicado em 30/09/2021, às 14h23    Reprodução/Abet    Léo Sousa

Um projeto de lei em tramitação na Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA) proíbe homenagens a escravocratas e eventos históricos ligados ao exercício do escravismo, na administração estadual. O PL 24.298/2021 foi publicado nesta quinta-feira (30) no Diário Ofical da Alba.

De acordo com a proposta, de autoria do deputado Marcelino Galo (PT), a vedação se aplicaria tanto a honrarias, condecorações, denominação de rodovias estaduais, de prédios e locais públicos em geral, quanto a edificação e instalação de bustos, estátuas e monumentos pelo poder público estadual.

Leia também:Estátua de Borba Gato é incendiada em São Paulo; saiba quem ele era

Os prédios e locais públicos estaduais cujos nomes sejam homenagens a personalidades escravocratas ou eventos históricos ligados ao exercício da prática escravista "deverão ser renomeados no prazo máximo de 12 meses a contar da data de publicação da lei".

Já os monumentos públicos, estátuas e bustos que já prestam homenagem do gênero "devem ser retirados de vias públicas, ou praças públicas e até mesmo museus, memoriais e afins, para preservação do patrimônio histórico", diz o texto. O não cumprimento da lei configurará ato de improbidade de administrativa.

Leia mais: PSOL propõe plebiscito para decidir sobre destino da estátua de Borba Gato

A redação considera escravocrata "todos agentes sociais individuais ou coletivos envolvidos com a ordem escravista no Brasil", os detentores de escravos ou defensores da ordem escravista.

Comissão

A proposição estabelece ainda que homenagens concedidas no âmbito estadual deverão atender a critérios de proporcionalidade em relação à diversidade de cor, sexo e orientação sexual, e institui a criação de uma comissão permanente, composta por membros dos poderes Legislativo e Executivo e da sociedade civil organizada, para realizar a análise "consubstanciada" dos prédios e áreas públicas, monumentos, estátuas e bustos pertecentes ao Estado da Bahia.

Matérias relacionadas:

ALBA aprova projeto que garante acesso gratuito a absorventes higiênicos

AL-BA: Após novo impasse, votação da obrigatoriedade da vacinação para servidores é adiada mais uma vez

AL-BA aprova PL do governo sobre créditos decorrentes de precatório federal e contas do TCM

'Colocação inaceitável' não impede Fábio Vilas-Boas de participar de atos, defende deputada

Classificação Indicativa: Livre