Política

Bruno Reis diz que não estuda mudanças no carnaval "enquanto não conversar com o governador"

Paulo M. Azevedo/BNews

Publicado em 18/11/2021, às 10h49    Paulo M. Azevedo/BNews    Diego Vieira e Nilson Marinho

O futuro do carnaval de Salvador continua incerto, pelo menos por enquanto. O prefeito Bruno Reis (DEM) afirmou na manhã desta quinta-feira (18), durante lançamento do programa Mãe Salvador, que ainda não há nenhuma decisão tomada quanto à realização da folia no ano que vem e que ainda não estuda qualquer modificação nos moldes da festa até que uma reunião com o governador da Bahia, Rui Costa (PT), para definir os rumos da festa aconteça.

"Não estudo qualquer mudança na realização do carnaval enquanto eu não sentar com o governador para decidir o carnaval. O meu desejo é que nós possamos realizar nos moldes que aí estão. Para entrar no circuito nós vamos exigir que a pessoa esteja com o ciclo vacinal em dia. Estamos definindo os protocolos e quando eu tiver essa conversa com o governador vou a apresentar a ele em que molde seria realizado o carnaval", disse.

O gestor municipal reafirmou que a realização da folia esteja condicionada aos índices da pandemia, entre eles, o número de pessoas completamente imunizadas. "Eu tenho defendido, todos sabem, é que nós possamos anunciar a realização condicionada a números, dentre os quais, a vacinação que vai servir de estímulo também para que as pessoas se vacinem. Lá na frente, no final de fevereiro, se os critérios não tiverem sido atendidos ou tiver o risco de ter um aumento no número de casos e que as pessoas possam perder a vida por conta do carnaval, ninguém vai realizar carnaval nessas condições", enfatizou.

Matérias relacionadas:

Bruno disse ainda que a prefeitura possui meios necessários para fazer o controle de acesso aos circuitos da festa. A exigência da vacinação para todos os trabalhadores que atuam no carnaval não é descartada pelo prefeito. 

"Temos como exigir que todos os ambulantes para pegar os kits estejam com o ciclo vacinal em dia. Que todos os trabalhadores habilitados para trabalhar nos blocos, camarotes, cordeiros, músicos, pessoas contratadas pela prefeitura e governo estejam também com a vacinação em dia. Temos como adotar as barreiras para exigir a comprovação", afirmou o gestor que descartou a necessidade da realização de um novo evento-teste na cidade.

"Acho que Barradão, Fonte Nova, manifestação de bolsonaristas e petistas já fizeram os testes necessários em relação ao carnaval".

Conselho do Carnaval cobra posicionamento

O Conselho Municipal do Carnaval (Comcar) convocou líderes de associações, sindicatos e empresários para uma manifestação que deve ser realizada neste domingo (21), às 9h, no Farol da Barra, em Salvador. O objetivo do protesto é cobrar uma definição da prefeitura e governo do estado quanto a realização do carnaval no ano que vem.

Em assembleia extraordinária, realizada no último dia 11, os 32 conselheiros do Comcar deliberaram para a realização da folia em 2022. Entre os membros da associação estão entidades de blocos, associação de camarotes, sindicatos de ambulantes, cordeiros, taxistas, Estado e Município, Saltur, Bahiatursa, Polícia Civil, Policia Militar, Corpo de Bombeiros, entre outros. 

Leia também:

Conforme rege a lei orgânica do estado, o COMCAR é o órgão colegiado do qual fazem parte entidades representativas carnavalescas e órgãos públicos representativos na sociedade, tendo como finalidade deliberar e fiscalizar todas as ações concernentes à estruturação e realização do carnaval de Salvador, cabendo-lhe ainda, a sua definição.

Acompanhe o BNews também nas redes sociais, através do Instagram, do Facebook e do Twitter

Classificação Indicativa: Livre