Política

“Conversações tem que ser estabelecidas”, diz Geraldo Júnior ao comentar declaração de Lúcio Vieira sobre apoio a ACM Neto

Vagner Souza/BNews

Lúcio disse ao BNews que o "partido não fez compromisso com Bruno para apoiar o candidato que ele indicar para o governo"

Publicado em 02/12/2021, às 20h29    Vagner Souza/BNews    Pedro Vilas Boas e Samuel Barbosa

O presidente da Câmara Municipal de Salvador, Geraldo Júnior (MDB), comentou a declaração dada na manhã desta quinta-feira (2) pelo presidente de honra do partido na Bahia, Lúcio Vieira Lima. Segundo Lúcio, apesar do MDB continuar na base de sustentação do prefeito Bruno Reis (DEM), ele não garante apoio ao pré-candidato ACM Neto (DEM).

"É uma decisão partidária, você sabe que em todas as entrevistas eu falo sempre que sou um homem de grupo político, eu sou um homem partidário, eu tenho excelente relação com Lucio Vieira Lima, que é o presidente de honra do nosso partido, com Alex Futuca que é presidente estadual do partido, e com Baleia Rossi eu tenho falado, nós nos falamos quase que diariamente. O partido ainda entende que conversações tem que ser estabelecidas, eu já externei minha posição como cidadão, como vereador, como presidente da Câmara e aí eu posso falara que a minha vontade, o meu desejo é que o partido caminhe ao lado de ACM Neto nas eleições estaduais, com todo histórico de relação que tenho com Neto, de ordem pessoal, de ordem política, por entender que foi o melhor prefeito do país. Tenho certeza que tá gabaritado ai pra ser o melhor governador dos últimos tempos no nosso estado. Vou até o último momento lutando por isso", disse Geraldo

Na manhã de hoje Lúcio disse ao BNews que o "partido não fez compromisso com Bruno para apoiar o candidato que ele indicar para o governo".

"O povo tem mania de perguntar 'o PMDB não tem cargo na Prefeitura, o PMDB não apoia Bruno Reis'. Você tem que diferenciar. Você tem apoio político à administração, você tem apoio administrativo à administração e você tem a questão eleitoral. Aqui se está tratando da questão eleitoral. Nós já apoiamos Bruno e continuaremos a apoiar em 2024 a reeleição dele. Certo? Mas a questão eleitoral de agora nós temos que discutir, nós não fizemos compromisso com o Bruno para apoiar Bruno e apoiar o candidato que ele indicar pra governo, certo, né?", declarou.

Classificação Indicativa: Livre