Política

Em busca dos evangélicos, governadores beneficiam igrejas

Reprodução
Governadores têm realizado ações em benefício das igrejas evangélicas, com o objetivo de obter apoio político  |   Bnews - Divulgação Reprodução

Publicado em 09/06/2024, às 16h19   Rebeca Silva



O Supremo Tribunal Federal (STF) autoriza que entidades religiosas possam se beneficiar da imunidade tributária conferida às instituições. Diante disso, diversos governadores têm realizado ações em benefício das igrejas evangélicas, com o objetivo de obter apoio político.

Inscreva-se no canal do BNews no WhatsApp!

Segundo O Globo, os governadores Tarcisio de Freitas (Republicanos), Cláudio Castro (PL) e  Helder Barbalho (MDB) isentaram o ICMS dos templos evangélicos e promoveram isenções nas contas de gás e luz das igrejas.

Em março de 2024, Ibaneis Rocha, governador do Distrito Federal, assinou um decreto que regulariza os terrenos de 400 igrejas através do programa “Igreja Legal".

Para especialistas, as ações nada mais são que uma estratégia com o objetivo de conseguir o apoio político entre os cristãos e fazer com que os líderes representantes, que possuem grande influência religiosa, influenciem nos rumos das eleições. Entretanto, o pastor Silas Malafaia, da Assembleia de Deus Vitória em Cristo, discorda que as ações sejam de interesse político. 

“A minha opinião é de que não fazem mais que a obrigação. As entidades religiosas, não só a Igreja Evangélica, têm imunidade tributária para qualquer bem da instituição”, disse.

As ações de benefícios destinados às igrejas tiveram início  em 2019, quando o ex-presidente Jair Bolsonaro isentou os templos do ICMS por um tempo de 15 anos, além de ter perdoado a dívida de R$ 1,4 bilhão da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL). O benefício foi cancelado pela Receita Federal em janeiro deste ano.

Classificação Indicativa: Livre

FacebookTwitterWhatsApp