BNews Turismo

Viajar ou não? Famílias se dividem ao escolher seus destinos no Feriado da Páscoa

Reproducao Tripadivision

Os destinos mais procurados pelo cidadãos soteropolitanos são no litoral

Publicado em 14/04/2022, às 06h51    Reproducao Tripadivision    Catarina Alcantara

Mesmo com  destinos diversos em bate e volta, para o litoral e cidades do interior do Estado, a população ainda está dividida entre permanecer na capital baiana e viajar no feriado da Páscoa.

Levantamentos de metabuscadores de viagens apontam aumento em 71% nas buscas pelas principais praias da Bahia. Destinos como Cabuçu, Diogo, Jauá e a Ilha são os preferidos das famílias que estarão liberadas desde esta quinta-feira (14). Esse é o caso de Jade Souza, 27 anos, funcionária de um banco federal que estará de folga até o domingo de Páscoa, tempo suficiente para viajar e curtir com sua família a casa de parentes em Salinas das Margaridas. 

Leia também:

Ferry-boat funciona em regime especial durante o feriado da Semana Santa

Rodoviária realiza operação especial durante o feriado de Páscoa na capital baiana

“Esse feriado prolongado facilitou as coisas pra gente viajar. Como trabalhamos em empresas que dispõem de um tempo maior de folga para os funcionários, viajamos na quinta, sem preocupação e retornamos domingo à noite", afirma a bancária. 

No caso de Felipe Sales, de 30 anos, consultor de vendas, o feriado será na capital baiana mesmo, por conta da sua escala trabalhista. O soteropolitano ficará na cidade enquanto parte da sua família viaja para o litoral. 

“A viagem seria muito desgastante pra mim, viajar na sexta para voltar no sábado de manhã? Prefiro ficar aqui, descansar um pouco e tentar curtir da maneira que dá! É melhor trabalhando, do que desempregado…”

Outro motivo que também impede a viagem de diversas famílias baianas é a escassez financeira, que vem junto com o aumento dos insumos, consequentemente, das cestas básicas e contas de consumo. Assim, a distração tem ficado para trás dando lugar às necessidades do dia a dia. 

Mario Souza, 45 anos, empresário de decoração de eventos está nessa situação. Com os gastos exacerbados nos últimos meses e com pouco trabalho, o feirense está sem verba suficiente para passear e curtir o feriado com a família como queria, fazendo uma viagem. 

“A gente até tentou, sabe? Mas ficou muito apertado, nossa renda diminui com a pandemia e está retornando ao nosso normal agora, precisamos nos segurar um pouco, se pudéssemos com certeza nós quatro estaríamos em uma praia e só retornaremos na segunda, pela manhã. Mas não podemos, fazer o quê?”, conta ele. 

Siga o BNews no Google Notícias e receba as principais notícias do dia em primeira mão.

Classificação Indicativa: Livre