Cidades

Caso Jaguaripe: Homem é ouvido pela polícia sobre morte de funcionário de pousada

Reprodução/Redes Sociais

A suspeita é que cinco pessoas estão envolvidas no assassinato

Publicado em 09/03/2022, às 18h35    Reprodução/Redes Sociais    Redação BNews

Um homem está sendo ouvido, na noite desta quarta-feira (9), em Jaguaripe, no Recôncavo da Bahia, sobre a morte de Marcell, conhecido como Billy, funcionário de pousadas de luxo na Praia dos Garcês. Segundo o delegado, Rafael magalhães, uma testemunha chave foi levado para prestar depoimento e teria detalhes do homicídio.

Marcell, que era ligado ao empresário Leandro Silva Troesch, dono da Pousada Paraíso Perdido, foi encontrado morto nesta segunda-feira (07). Ele teria sido morto, segundo as investigações, por queima de arquivo.

Ele foi morto na véspera de ser ouvido pelo delegado sobre a morte do empresário no distrito de Camassandi, em Jaguaripe, no dia 25 de fevereiro. Leonardo morreu com um tiro na cabeça.

Para o delegado, a suspeita é que cinco pessoas estão envolvidas no assassinato, incluindo a companheira de Marcel, e seu irmão. A esposa de Leandro, Shirley da Silva Figueiredo, é considerada foragida pela justiça. Ela teve um pedido de prisão determinado pelo juiz titular Almir Pereira de Jesus, da 1ª Vara de Execuções Penais de Salvador, que atendeu um pedido de liminar feito pelo delegado do caso.


Em entrevista ao Balanço Geral, da TV Itapuan, o delegado afirmou que já sabe o paradeiro de Shirley: ela provavelmente está foragida junto a uma das lideranças do Presídio Feminino em Salvador, Maqueila Santos Bastos, presa por estelionato. As duas se conheceram na unidade prisional. Maqueila responde a mais de 10 processos, totalizando mais de 30 inquéritos, segundo Rafael Magalhães.


Segundo a polícia, Leandro não queria que Maqueila ficasse na pousada que tinha em sociedade com a esposa. A morte dele aconteceu dez dias após a expulsão dela do local. Shirley alegou em depoimento que o caso era um suicídio.


De acordo com a Polícia Militar, Leandro estava caído e com o ferimento provocado por tiro dentro da pousada do casal, a Paraíso Perdido, em Jaguaripe, no Recôncavo Baiano. A Polícia Civil investiga as circunstâncias da morte do empresário.

Leia mais:

Vídeo: Homem é agredido com barra de ferro em via pública na Vila Canária
Vídeo: Funcionários terceirizados da PMS reclamam de atrasos de salários; um homem passou mal


Na oportunidade, o delegado informou ainda que existe um mistério rondando a morte do empresário após a fuga de Shirley e a morte de Marcel na segunda-feira (7). “O que mais me intriga é a morte desse rapaz que era minha principal testemunha e peça chave da investigação”.


Segundo o delegado, a companheira de Marcel também prestou depoimento à polícia e apontou uma pessoa como autora do crime. No decorrer das investigações, o delegado descobriu que a testemunha participou do crime. Leandro e Marcel tornaram-se amigos recentemente quando cumpriram pena juntos em Salvador.


Leandro e Shirley eram investigados pelos crimes de roubo e extorsão mediante sequestro cometidos em 2001 contra uma pesquisadora da Universidade Federal da Bahia (UFBA), em Salvador. Shirley cumpre pena no regime semiaberto, em prisão domiciliar, e no momento está foragida.

Ao BNews, o advogado de defesa de Maqueila, Paulo Pires, rebateu as acusações  e informou que Maqueila está disponível para prestar depoimento.


“Como ela tá foragida se ele não intimou ela? Ela tem advogado, que sou eu. Então, se a pessoa não encontra porque ela mudou de endereço, ele vai atrás do advogado e ninguém veio atrás”, disse. “Foragida é a outra, a Shirley”, completou.

Siga o BNews no Google Notícias e receba as principais notícias do dia em primeira mão.

Classificação Indicativa: Livre