Justiça

André Mendonça segue buscando votos no Senado até véspera de sabatina no Senado

Marcos Oliveira/Agência Senado

Indicado do governo Bolsonaro ao STF, ex-AGU terá nome analisado pela CCJ da Casa na próxima quarta-feira (1º)

Publicado em 30/11/2021, às 09h25    Marcos Oliveira/Agência Senado    Redação BNews

O indicado do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ao Supremo Tribunal Federal (STF), André Mendonça, manterá contato com senadores e membros da bancada evangélica, na Câmara, até a submissão do seu nome na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado na próxima quarta-feira (1º), com o intuito de conseguir votos para sua aprovação.

De acordo com o colunista Guilherme Amado, do site Metrópoles, em vez de realizar treinamentos antes de sua sabatina no colegiado, Mendonça tem concentrado esforços em reforçar conversas com parlamentares. Também segundo a publicação, a decisão é um reflexo da dificuldade do governo Bolsonaro em garantir que o nome de seu indicado seja aprovado com tranquilidade.

Questionados sobre a falta de tempo para treinar a capacidade de responder às perguntas dos senadores, interlocutores do ex-advogado-geral da União ponderam que Mendonça tem praticado desde julho, quando Bolsonaro oficializou sua indicação ao Supremo e ele começou a visitar os parlamentares.

As Comissões de Relações Exteriores e Constituição e Justiça do Senado realizam nesta terça uma força-tarefa para realizar 20 sabatinas de indicados à nove embaixadas do Brasil no exterior, e também para cargos de conselheiros e diretores de agências reguladoras.

Segundo o colunista Lauro Jardim, do jornal O Globo, também precisam ser realizados os escrutínios de Morgana de Almeida Richa, para uma vaga no Tribunal Superior do Trabalho (TST), e Daniel Carnio Costa, para o Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP). Outros sete nomes aguardam sabatina para o Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

Segundo informações apuradas pela coluna de Jardim, todas as apreciações devem ocorrer antes da análise do nome de Mendonça ao Supremo.

Classificação Indicativa: Livre