Denúncia

Vereador denuncia vazamento de material tóxico da Naturalle em Camaçari; prefeitura de manifesta

Divulgação

Vereador Tagner Cerqueira denuncia vazamento de material tóxico em aterro sanitário de Camaçari

Publicado em 30/04/2022, às 17h32    Divulgação    Rafael Albuquerque

O vereador Tagner Cerqueira (PT) denunciou o vazamento de um líquido tóxico que foi identificado desde a última quinta-feira no aterro sanitário da cidade de Camaçari, de responsabilidade da empresa Naturalle, e que, segundo o petista, pode causar danos ambientais para todo o município.

Tagner denunciou o caso à polícia ambiental na noite desta sexta (28) e também chamou o Inema para apurar a situação e monitorar o vazamento.

Viaturas policiais foram ao local juntamente com técnicos ambientais do estado, que já iniciaram uma investigação sobre o vazamento do chorume. De acordo com o vereador, existe o risco eminente de contaminação do lençol freático, bem como da fauna e flora local.

“Mais um crime ambiental que acontece em Camaçari e agora a gente precisa encontrar os responsáveis que fazem a gestão do aterro. É um ano irreparável, já contaminou o solo, algumas lagoas e até um rio aqui próximo do aterro. Coincidentemente amanheceu o Rio Capivara com diversos peixes mortos”, disse Tagner.

Leia também:

Azul vai trazer ao Brasil avião do Pato Donald
Atrativos de Itacaré são destaque na WTM, maior evento de turismo e viagens da América Latina
Devido ao remake da novela "Pantanal" na Globo, região deverá receber mais turistas

Procurada pela reporatagem do BNews, a prefeitura de Camaçari afirmou que a empresa de Limpeza Pública de Camaçari (Limpec) tomou conhecimento da situação no dia 25/04 e que "foram tomadas as medidas necessárias para evitar danos ao meio ambiente".

Ainda de acordo com a gestão municipal, "a fuga do material foi decorrente de uma fissura na caixa de chorume, provocada pelas chuvas intensas que atingiram o município, tendo sido acumulado só no período de 16 a 22/4, um total de 317 milímetros (mm)".

Diante do fato, "a Limpec realizou vistoria na área externa do Aterro Sanitário municipal e, a partir daí, solicitou da empresa Naturalle, contratada para gerenciar a operação do equipamento, que realizasse inspeção em toda a área do empreendimento para avaliação ampla das condições do local".

A prefeitura afirmou que também endereçou ao Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema) uma correspondência referente à “Comunicação de ocorrência no Aterro Sanitário de Camaçari”, assinada pela Comissão Técnica de Garantia Ambiental (CTGA) da Limpec, "na qual expôs os fatos e os fundamentos técnicos e jurídicos sobre o ocorrido e sua investigação, bem como, as ações tomadas pelas empresas".

A prefeitura também afirmou que algumas medidas foram adotadas: "a ação preventiva da Limpec e a atuação imediata da Naturalle, evitaram maiores danos ao meio ambiente. Como medidas, foram adotadas as seguintes intervenções: isolamento da área; a remoção de todo material possivelmente contaminado; e o monitoramento ambiental do local e a análise dos poços ao redor. A Prefeitura também informa que, enquanto aguarda o parecer do Inema, durante 30 dias a Naturalle realizará acompanhamento ambiental e registros fotográficos do local onde houve a ocorrência, para monitoração da área atingida".

A prefeitura não respondeu ao BNews se pretende pinir a Naturalle por causa do vazamento do líquido tóxico.

Siga o BNews no Google Notícias e receba as principais notícias do dia em primeira mão!

Classificação Indicativa: Livre