Polícia

Gamboa: policiais envolvidos não foram afastados, revela secretário de Segurança Pública

Joilson César

"não tem necessidade", disse o secretário sobre o afastamento, antes de afirmar que já está cuidando da compra de câmaras corporais para os militares

Publicado em 04/03/2022, às 17h33    Joilson César    Léo Sousa e Letícia Rastelly

O secretário de Segurança Pública da Bahia, Ricardo Mandarino, afirmou que não afastou os policiais envolvidos na ação que resultou na morte de três jovem na Gamboa, na madrugada de terça-feira (1º). A afirmação foi feita nesta sexta-feira (04), durante entrevista concedida logo após a posse da promotora de Justiça Norma Cavalcanti, que foi reconduzida ao cargo de procuradora-geral de Justiça do Ministério Público do Estado da Bahia (MP-BA).

Na justificativa, Mandarino disse que o afastamento não era necessário: “não tem necessidade deles serem afastados porque a gente não sabe. Se você afastar você está imaginando que eles sejam culpados. A gente não pode supor que sejam culpados nem que sejam inocentes, isso vai depender de uma investigação”.

Leia também:

Mulher é queimada viva em São Paulo

Família de vítima de assalto nega versão da Torre de Pizza: "Não houve luta corporal"

Ótica é assaltada em Conceição do Almeida e ação dos bandidos é filmada pelas câmaras; veja

O afastamento foi um pedido de diversas autoridades, a exemplo da Ordem dos Advogados da Bahia (OAB Bahia), que também pediu para que a SSP invista em câmeras corporais. Sobre isso, Mandarino concordou e disse que já está providenciando, porém, existem burocracias que atrapalham a celeridade: “As coisas no Estado não são como na empresa privada, que você chega ali na loja e compra. Tem que ter um processo de licitação, tem que ter tomada de preço para não comprar por preço fora de mercado. Tudo isso está sendo feito”, afirmou o secretário.

Siga o BNews no Google Notícias e receba as principais notícias do dia em primeira mão!

Classificação Indicativa: Livre