Política

Apoiado por Bolsonaro, Lira prega calma em conversas sobre impeachment: "ruptura democrática não é fácil"

Luís Macedo/Câmara dos Deputados

Deputado está na Bahia para encontro com aliados

Publicado em 25/01/2021, às 14h51    Luís Macedo/Câmara dos Deputados    Luiz Felipe Fernandez e Marcio Smith

O deputado federal Arthur Lira (PP-AL) pregou calma em conversas sobre o impeachment do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Tido como candidato do presidente na disputa pela comando da Casa, o pepista afirmou que não assumiu com o presidente o compromisso de não pautar um eventual processo, mas ressaltou que "uma ruptura democrática não é fácil". 

"Com relação ao impeachment, o que eu tenho dito é o seguinte 'eu prezo pelo equilíbrio da Câmara [...] Uma ruptura democrática não é fácil, Rodrigo Maia (DEM-RJ) sabe disso, tanto é que ele tem 57 pedidos de impeachment e nunca pautou nenhum [...] Nós não vamos falar nunca em caso de hipótese, nós assumirmos, a gente vê o que vai fazer lá", afirmou Lira. O parlamentar aproveitou para criticar seu principal adversário Baleia Rossi (MDB-SP) que, na sua avaliação, estaria utilizando uma possível abertura do processo como plataforma eleitoral para atrair os partidos de oposição ao presidente. 

Sobre a gestão do presidente na pandemia do novo coronavírus, Lira tergiversou e questionou se alguém tem um "cardápio ideal" de como agir nesta situação. "A gente tem que ter calma, é um momento de pandemia, de sensibilidade, a gente tem que trabalhar todos juntos para o máximo de brasileiros serem vacinados. Todo o esforço que estou fazendo é nesse sentido", declarou o pepista. Bolsonaro é constantemente criticado por sua atuação durante a pandemia, desde o apoio a remédios sem eficácia comprovada a falas que colocam em dúvida as vacinas contra a covid-19, doença causada pelo novo coronavírus.

Lira criticou Maia, atual presidente da Câmara, por centralizar as ações da Casa sob seu nome e destacou que irá buscar devolver o protagonismo aos deputados. Na Bahia, o pepista cumpre agenda similar a de Rossi tendo encontros marcados com o governador Rui Costa (PT), o prefeito Bruno Reis (DEM) e o presidente nacional do Democratas, ACM Neto.

"Muitos deputados se espelham em nossas propostas de transformar a Câmara no nós e sair desse protagonismo do 'eu posso, eu vou fazer', nós não temos chefe [...] Só há um bloco na Câmara, o que o outro lado (Baleia Rossi e aliados) tem são intenções, nós estamos conversando com muita humildade, seriedade e levando nossas propostas numa mudança no cenário da Câmara nos próximos dois anos", alfinetou o parlamentar.

Leia mais:

Prefeito de Salvador espera visita de Arthur Lira na prefeitura; Reis prepara lista de pedidos

Bacelar avalia candidatura de Lira a presidente da Câmara como "mais popular"

Uldurico Júnior não acredita em Lira 'submisso' ao governo: "Nunca foi a postura dele"

João Leão defende nome de Lira para presidência da Câmara, e admite que Rui deve apoiar Baleia Rossi

Classificação Indicativa: Livre