Política

Na mira do MDB, Tinoco diz que "tendência" é permanecer no partido, mas deixa futuro em aberto

Vagner Souza /BNews

Publicado em 18/10/2021, às 11h54    Vagner Souza /BNews    Luiz Felipe Fernandez

Convidado pelo presidente da Câmara, Geraldo Júnior, a se filiar ao MDB e tentar  uma "dobradinha" em 2022, o vereador Cláudio Tinoco (DEM) diz que a "tendência" é que permaneça no grupo do partido que se funde ao PSL para dar origem ao União Brasil.  

"Completei 20 anos no DEM ,sou líder da bancada na Câmara, e a tendência é minha manutenção", assegura.

O ex-secretário, contudo, diz que serão avaliadas todas as conjunturas, juntamente com o presidente do DEM, ACM Neto, e futuro vice-presidente do União Brasil, Bruno Reis (DEM), para decidir qual será a sua estratégia.

"Estamos ainda focados em conversar com as pessoas. Tenho viajado muito pelo interior, resgatando algumas relações que tive no passado, a trajetória no estado da Bahia, tanto na área de educação como infraestrutura, e com isso conquistei uma rede de relacionamentos que estou reestabelecendo depois de 14 anos concentrado em Salvador", destacou em conversa com o BNews nesta segunda-feira (18), durante lançamento do programa "Salvador No Grau".

Atento, Tinoco relembra a situação do DEM em 2020, quando acolheu vereadores com mandato e acabou perdendo quadros que já estavam na CMS. Este risco pode ser um dos motivos que leve o ex-secretário a mudar de partido, o que só será definido em março de 2022.

"A análise que estamos fazendo é do ponto de vista da viabilidade de candidaturas. E vou fazer isso ouvindo as orientações de ACM Neto, de Bruno Reis e, claro, da minha base eleitoral, do ponto de vista da viabilidade de candidaturas", ressalta o vereador, que diz que a fusão DEM-PSL pode ajudar a "criar maior identidade com o eleitor".

Se de um lado Geraldo Júnior (MDB), que roda pelo interior para se colocar como um nome forte para a Câmara Federal em 2022, Tinoco tem a possibilidade de outro caminho, no PDT do secretário de Saúde Léo Prates, mas este movimento já depende qual será o espaço do partido na chapa. 

Com moral, o PDT pode garantir a vaga na majoritária junto com ACM Neto ou a indicação para o concorrente ao Senado.

Um dos atrativos do partido é a expulsão de dois deputados estaduais com mandato, Alex Santana e Samuel Júnior, alinhados a Jair Bolsonaro, que abrirá espaço na legenda.

"Geraldo Júnior tem papel fundamental do MDB e na Bahia, fez o convite público e me deixou honrado [...] vamos aguardar também como o PDT vai se comportar, temos a expectativa de saídas de deputados do partido e vamos ver a proposta para a 2022, porque o PDT tem condições de compor a majoritária, indicando vice ou senado na chapa de ACM Neto. Por enquanto, vamos concentrar a discussão nos temas importantes para a Bahia e no diálogo com lideranças no interior", resumiu Tinoco, que já comemora o apoio em Salvador do vereador Beca.

Matérias relacionadas:

Prefeitura confirma que empresa não deu entrada em licença para construção da ponte Salvador-Itaparica

Após o PT demonstrar interesse no MDB, Bruno Reis diz que vai trabalhar para manter apoio da sigla

Bruno Reis diz que União Brasil ainda não definiu se terá candidato à presidência em 2022

Classificação Indicativa: Livre