Política

Bolsonaro associa vacina a Aids e Facebook reage de forma inédita

Reprodução/Facebook

Conteúdo foi removido da plataforma

Publicado em 25/10/2021, às 07h47    Reprodução/Facebook    Redação BNews

O Facebook tirou do ar uma live em que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) divulgou na última quinta-feira (21) uma notícia que associava a vacina contra a Covid-19 com a Aids. 

Essa é a primeira vez que a rede social exclui uma transmissão semanal do chefe do Executivo federal. Em março de 2020, um vídeo em que Bolsonaro gerava aglomeração foi banido da plataforma.

O conteúdo em que o presidente faz a associação, que é uma inverdade, já não pode ser mais encontrado no Facebook e Instagram. 

Durante a transmissão, Bolsonaro leu conteúdos de dois sites que afirmam que, no Reino Unido, pessoas com a imunização completa contra a Covid-19 tendem a desenvolver síndrome da imunodeficiência adquirida (Aids).

"Não vou ler para vocês aqui, porque posso ter problemas com a minha live. Não quero que 'caia' a live. Quero dar informações concretas", disse.

Inquérito

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou a inclusão, em agosto deste ano, do presidente como investigado no inquérito das fake news. O motivo são os ataques às urnas eletrônicas, pondo em prova a confiabilidade do processo eleitoral brasileiro desde que assumiu o mandato, em 2019.

A decisão de Moraes atende a pedido aprovado por unanimidade, em sessão nesta segunda(2), pelos ministros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

A investigação poderá tornar Bolsonaro inelegível posteriormente, caso o Ministério Público entenda, ao fim do inquérito, que há motivos suficientes para apresentar uma denúncia.

A partir disso, é preciso que a Câmara dos Deputados aprove o prosseguimento da acusação formal, com voto favorável de pelo menos ⅔ dos parlamentares, e, por fim, o STF decida pela condenação.

Matérias relacionadas:

Bolsonaro compara fake news com "mentirinha para a namorada"; veja vídeo

Investigado por disseminar fake news, Allan dos Santos é acusado de litigância de má-fé pelo Google

Moraes inclui Bolsonaro no inquérito das fake news por ataques a urnas eletrônicas

Classificação Indicativa: Livre