Salvador

Professora rebate escola e afirma que livro "Olhos D'água" foi proibido pela direção

Divulgação

Em nota, escola afirma que o pedido veio dos pais

Publicado em 19/11/2021, às 19h22    Divulgação    Redação BNews

Após polêmica sobre a suspensão da indicação do livro "Olhos D'água", da escritora negra mineira Conceição Evaristo, a professora que foi afastada de uma turma de nível médio após apresentar o livro aos alunos desmentiu a escola Vitória Régia. 

Leia mais: 

Sergipe apresenta queda no número de casamentos pelo sexto ano consecutivo

Professores da Faculdade 2 de Julho deflagram greve; crise é antiga

Unilever fecha acordo bilionário para vender suas marcas de chá

Mulher Melão revela oferta de valor exorbitante por noite de sexo

A magistranda afirmou que o afastamento dela e a suspensão da coleção de contos teria sido feita pela direção da escola em uma reunião gravada. “Fiquei surpresa, e muito triste, com o conteúdo. Em 29 de setembro, durante a reunião, foi dito que os pais pediram o meu afastamento. A princípio, disseram que era uma família, depois duas, em seguida seis e, por fim, oito famílias”, afirma em entrevista concedida ao Metro1.

A professora foi encorajada pela mãe a falar sobre o assunto e contou que está tendo total apoio de uma série de professores e estudantes por meio das redes sociais das outras escolas onde trabalha. 

Em nota oficial, a escola diz que a professora, em suas redes sociais, “levou o assunto em questão ao seu perfil particular no Instagram, no qual levantou a acusação de racismo e de estar sendo silenciada pela instituição, o que jamais ocorreu”. 

Leia também: 

Vereador repudia ataque racista no Portinari e anuncia medida

Movimento negro promete ocupar ruas de Aracaju no dia 20 de novembro

Classificação Indicativa: Livre