Salvador

"Quanto mais polêmica é melhor", afirma dono de sorveteria que vende doces em formato de órgãos genitais

BNews
Ki Putaria vende doces em formato de órgãos genitais e está sendo processado por plágio  |   Bnews - Divulgação BNews

Publicado em 07/03/2022, às 19h23   Rafael Albuquerque



O empresário Fernando Pinheiro, dono da sorveteria Ki Putaria, que vende doces com formato de pênis e vaginas e tem causado polêmica na Barra, se manifestou sobre uma ação judicial que está sendo movida por uma franquia mineira que processa por plágio.

Fernando negou categoricamente todas as acusações feitas pelo casal Juliana Lopes e Robson Kraner, responsáveis pela sorveteria La Putaria. Eles alegam que o empresário copiou as cores e o cardápio e, além disso, adaptou o nome do estabelecimento.

Leia também:

Viva Air lança voos inéditos do Brasil para a Colômbia com preços promocionais
Pedidos de empréstimo para viagem caem 12% após oito meses consecutivos em alta
Passageiros da Itapemirim ficam sem reembolso de passagens aéreas

Indignado, Fernando disse não fazer ideia da referida ação judicial, confirmou que o nome Ki Putaria está devidamente registrado em seu nome e disparou: "não tenho tempo para essa palhaçada".

"Você vai no McDonald's e tem hambúrguer RS 4,50 e depois você vai no Burger King e tem um hambúrguer de R$ 4,50. Isso é plágio? Tem uma loja rosa e tem outra loja rosa. Isso é plágio?", questionou.

Questionado sobre qual seria, então, o objetivo do processo, Fernando Pinheiro foi enfático: "não faço ideia. Quanto mais polêmica para mim é melhor, mais trabalho".

Siga o BNews no Google Notícias e receba os principais destaques do dia em primeira mão!

Classificação Indicativa: Livre

FacebookTwitterWhatsApp