Política

Alesp diz que pedido de cassação de Arthur do Val avança apesar de renúncia

Alesp

A decisão foi tomada após a Procuradoria da Casa

Publicado em 28/04/2022, às 15h01    Alesp    Folhapress

A Alesp (Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo) informou nesta quinta-feira (28) que irá prosseguir com o processo de cassação do mandato do ex-deputado estadual Arthur do Val (União Brasil-SP), também conhecido como Mamãe Falei, mesmo com o pedido de renúncia feito pelo parlamentar. Uma reunião da comissão responsável pelo caso foi convocada para a próxima terça-feira (3).


A decisão foi tomada após a Procuradoria da Casa emitir parecer favorável à continuidade da ação contra o ex-deputado, independentemente da renúncia, "conforme previsto no artigo 20 do Código de Ética e Decoro Parlamentar da Alesp".

A reportagem entrou em contato com a assessoria de imprensa do ex-deputado, que preferiu não se manifestar.


Em março, depois de viajar à fronteira da Ucrânia para, segundo ele, prestar apoio aos refugiados que saem do país logo após o início dos bombardeios da Rússia, Arthur do Val disse em áudio que as mulheres ucranianas "são fáceis porque são pobres".

Ele reconhece as frases como "repulsivas" e "grotescas", mas a defesa alega que o parlamentar enviou os áudios a grupos privados e que estava licenciado do cargo em outro país.

Leia mais:

Ministros do STF são avisados por deputados que Daniel Silveira não vai ficar na CCJ; entenda

Câmara Municipal de Jacobina concede título de cidadão jacobinense ao ex-presidente Lula

Tribunal condena União a indenizar em R$ 50 mil advogado de Lula por grampos da Lava Jato

O caso gerou repercussão negativa não só no Brasil, mas também no exterior. Vários parlamentares entraram com pedidos de cassação do mandato do colega.

O pedido de cassação foi defendido em relatório enviado pelo deputado estadual Delegado Olim (PP-SP) ao Conselho de Ética da Alesp.

Em seu parecer, Olim rebateu alegações da defesa de Arthur e ressaltou que ele é "reincidente em faltas disciplinares". Em reação, do Val convocou a militância para acompanhá-lo até a Alesp no dia da análise do processo.

Arthur do Val chegou a pedir judicialmente ao Conselho de Ética, no dia 5 de abril, que fosse realizada uma perícia nos áudios vazados -para identificar se houve edição ou alteração-, mas a solicitação foi negada. Além do próprio parlamentar, a sua ex-namorada Giulia Blagitz prestou depoimento ao conselho e confirmou que os áudios eram de Mamãe Falei.

Do Val protocolou na Alesp o pedido de renúncia ao cargo de deputado estadual após ter a cassação do seu mandato indicada pelo Conselho de Ética.

"Vou renunciar ao meu mandato em respeito aos 500 mil paulistas que votaram em mim. Mas não pensem que desisti, continuarei lutando pelos meus direitos", afirmou em nota, na ocasião.
A renúncia foi considerada uma manobra por políticos para que Do Val não fique inelegível por oito anos caso seu mandato seja cassado pelo plenário da Alesp.

Siga o BNews no Google Notícias e receba as principais notícias do dia em primeira mão

Classificação Indicativa: Livre