Política

Petistas pressionam Lula a desistir de compromisso de nomear mais votado em lista tríplice

José Cruz / Agência Brasil

Publicado em 23/01/2022, às 07h05    José Cruz / Agência Brasil    ´Fábio Zanini / Folhapress

Membros da direção do PT tentam convencer o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a abrir mão do compromisso de indicar sempre o mais votado na lista tríplice para diversos cargos, sobretudo o de procurador-geral da República.

O argumento é de que é preciso ter mais flexibilidade nas opções, para não correr o risco de escolher autoridades que depois possam causar dores de cabeça ao partido.

O ex-presidente, no entanto, resiste aos apelos, dizendo que sempre adotou a prática de nomear o mais votado quando esteve no poder e que não pretende mudá-la em um novo mandato.

Leia mais: 

Prefeito e presidente da Câmara marcam luta de boxe: 'Vou encher sua cara de porrada'

Paulo Guedes tem nova debandada no ministério da Economia

Bruno Reis não vai exigir cartão de vacinação para crianças no retorno das aulas

Em seu governo, o então presidente Michel Temer (MDB) quebrou esta tradição, ao nomear a segunda colocada na lista tríplice para a PGR, Raquel Dodge, para o posto de chefia no Ministério Público.

Já o atual presidente, Jair Bolsonaro, ignorou completamente a lista tríplice e escolheu um nome de fora dela, Augusto Aras, para o cargo.

Siga o BNews no Google Notícias e receba as principais notícias do dia em primeira mão.

Classificação Indicativa: Livre