Salvador

Da Boca do Rio à Pinto de Aguiar: Entenda as mudanças que poderão ocorrer no Carnaval já a partir de 2023

Alfredo Filho/Secom PMS/Arquivo

De acordo com Isaac Edington, presidente da Saltur, as mudanças poderão ocorrer no Carnaval já a partir de 2023

Publicado em 08/06/2022, às 12h40 - Atualizado às 13h00    Alfredo Filho/Secom PMS/Arquivo    Diego Vieira

Quem percorreu os cerca de quatro quilômetros entre o Farol da Barra até monumento das Gordinhas, em Ondina, atrás de um trio elétrico durante o Carnaval de 2020, em Salvador, pode ter tido a oportunidade de se despedir da folia realizada no trecho carnavalesco. Isso porque, já a partir de 2023, o circuito da festa pode ser transferido para a região da orla da Boca do Rio. A possibilidade da mudança veio à tona, novamente, nos últimos dias e tem gerado discussões entre empresários e entidades que já se mostraram favoráveis à proposta.

E, ao que tudo indica, a retomada do Carnaval em 2023, evento suspenso por dois anos consecutivos por causa da pandemia, pode servir como uma espécie de "evento-piloto". De acordo com Isaac Edington, presidente da Empresa Salvador Turismo (Saltur), responsável pela gestão da folia soteropolitana, caso haja consenso entre representantes do setor, a possibilidade de realizar a festa no novo local já a partir do ano que vem é real.

“A gente tem uma oportunidade extraordinária de colocar isso em prática no Carnaval de 2023. Estamos vendo o mercado de turismo completamente aquecido. O prefeito já apresentou uma série de melhorias naquela região já apontado para essa possibilidade. Ou seja, existe toda uma conjuntura bastante favorável, com aceitação bastante significativa de vários setores.  Caso haja esse consenso, a gente pode realizar essa mudança já no ano que vem”, afirmou Isaac acrescentando ainda que a modificação do circuito pode ser uma oportunidade de reorganizar o Carnaval da capital baiana.

“ As discussões e o envolvimento de todos os atores são de extrema importância para que possamos fazer essas alterações. Acho que esse novo circuito pode ser uma oportunidade extraordinária de reorganizar o Carnaval da cidade”, explicou.

Matérias relacionadas:

A proposta do Conselho Municipal do Carnaval (Comcar), segundo o presidente da Saltur, é de que o novo percurso dos trios tenha início nas imediações do Centro de Convenções, na Boca do Rio, e siga pela Avenida Octávio Mangabeira até o retorno que dá acesso à Avenida Pinto de Aguiar, o que compreende um trajeto de quase cinco quilômetros.

Algumas entidades já se manifestaram como a própria Polícia Militar, dentre outras, sobre a superlotação do circuito Barra-Ondina e todas as suas consequências. A falta de espaço para as estruturas de camarotes que a cada ano estão diminuindo. Tem a questão do desenvolvimento imobiliário que é uma tendência natural. Levando tudo isso em consideração, as entidades envolvidas na festa começaram a discutir esse assunto e nós da prefeitura estamos muito abertos para discutir alternativas”.

Ainda segundo o gestor, a intenção do projeto não é acabar de vez com a folia na Barra. Caso a mudança se concretize, a ideia é manter o Carnaval no bairro com apresentações de bandas de percussão e fanfarras, como já acontece nos eventos pré-carnavalescos, Furdunço e Fuzuê.

“De forma alguma o Carnaval da Barra será abandonado. Uma vez que, essa possibilidade de ter um circuito na orla de Salvador, todo de frente para o mar, com áreas importantes no canteiro central para os camarotes e órgãos públicos, pode gerar oportunidades de aprimorarmos o carnaval da Barra com a pegada do circuito Sérgio Bezerra, com atrações sem equipamentos eletrônicos, uma festa mais intimista com bandas e fanfarras que agrada muito o público, turistas e os próprios moradores”, pontua.

Isaac Edington destacou ainda a necessidade de fortalecer ainda mais a festa em outros pontos da cidade como o circuito Osmar (Campo Grande) e outros bairros da capital que já costumam receber atrações musicais durante o período do Carnaval.

“O Carnaval tem uma magnitude significativa. O mais importante não é a criação do novo circuito em si, o fundamental é a gente fortalecer o Carnaval do centro da cidade, continuar investindo para que se torne um Carnaval mais forte. O Carnaval do centro só não morreu por conta do poder público que continua fazendo investimentos para contratação de atrações, montagem de estruturas para que as pessoas possam acompanhar”, diz.

Possibilidade anima moradores da Barra

Nesta segunda-feira (6), o BNews conversou com o diretor de Comunicação e Relações Públicas da Associação de Moradores e Amigos da Barra (Amabarra) Waltson Campos. Ele conta que desde 2017 a instituição vem pleiteando uma cadeira junto ao Comcar para tratar do assunto.

"Lá eles ouvem várias entidades, tem PM, hoteleiros, donos de camarotes, mas as comunidades são colocadas de escanteio e isso a gente vem tentando faz tempo, mas não conseguimos. Já chamamos os gestores, fomos ao Ministério Público para tentar moldar um novo formato, nós não somos contrários ao carnaval aqui na Barra, somos contrários ao modelo atual, trio e camarote. Observamos que o número de pessoas está crescendo e com isso veio trazendo outros problemas, aumentados pela quantidade de apresentações que vieram pra Barra depois que grandes artistas deixaram de se apresentar no Campo Grande. A violência aqui aumentou muito porque a polícia já não consegue chegar aos pontos críticos", argumentou.

Matérias relacionadas:

Nas redes sociais da Amabarra, moradores comentaram sobre a possível mudança. "Tomara que essa proposta dê certo. O pessoal da Barra não aguenta mais a bagunça do carnaval", comentou uma internauta.

O que diz o prefeito

Nesta terça (7), o prefeito Bruno Reis (União Brasil) afirmou que, de fato, existe a possibilidade da mudança do local da festa. Pensando nisso, o gestor municipal salientou que a prefeitura vai realizar uma grande intervenção viária, que inicia na Boca do Rio, passa por Pituaçu e vai até Piatã.

"O Conselho do Carnaval, provocado por um grupo de empresários do Carnaval, ficou de apresentar um projeto à prefeitura pra somente o circuito Barra-Ondina, os demais permaneceriam da mesma forma que estão no Carnaval até então, para a prefeitura avaliar a possibilidade de transfêrencia", disse Bruno Reis.

A mudança, segundo Bruno Reis, seria exclusivamente para o circuito Barra-Ondina. Outros locais como o circuito Campo Grande, Pelourinho e mesmo as fanfarras no Barra-Ondina continuarão do mesmo jeito.

"Os camarotes e trios é que há uma possibilidade de ser feita [a mudança de circuito] em virtude de uma grande intervenção viária que vamos fazer e vai ter um grande calçadão na orla da Boca do Rio e Piatã. Surge uma nova Barra na cidade e que há possibilidade de um carnaval aí. Paralela não há a mínima hipótese por conta dos transtornos que causariam no trânsito e no tráfego da cidade", explicou o prefeito.

Polícia Militar

O comandante geral da Polícia Militar da Bahia, coronel Paulo Coutinho, também comentou sobre a possibilidade da transferência do circuito Barra-Ondina para a região do Centro de Convenções. Ao BNews, na noite desta segunda, Coutinho disse que a Barra já não comporta determinados eventos.

"Entendo que mudança dessa natureza tem que ter uma boa discussão ouvindo todos os segmentos. Em outra época falou-se em ir também para Paralela. A Barra há muito tem demonstrado que está saturada para determinados eventos. O público [fica] comprimido. Como Avenida Sete também. Uma área com mais largura inibiria até as brigas típicas dessas festas. Porém, muitos fatores e interesses interferirão para uma mudança dessa", disse.

Siga o BNews no Google Notícias e receba as principais notícias do dia em primeira mão.

Classificação Indicativa: Livre