Justiça

Justiça pede transferência de Cátia Raulino de Santa Catarina para a Bahia 

Arquivo / Brenda Viana / BNews

A falsa jurista encontra-se custodiada, atualmente, na Diretoria Estadual de Investigações Criminais (Deic) em Santa Catarina

Publicado em 31/03/2021, às 10h29    Arquivo / Brenda Viana / BNews    Redação BNews

O juízo da 2ª Vara Criminal Especializada de Salvador, responsável pela tramitação do processo contra a falsa jurista Cátia Raulino, solicitou a transferência dela de Santa Catarina para a Bahia. Cátia está presa no Sul do País desde o dia 24 de março. A defesa também entregou a justiça um computador, um notebook e o passaporte dela nesta terça-feira (30).

Ela é acusada de estelionato, falsificação de documento público e falsidade ideológica. O mandado de prisão foi expedido pelo Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), que atendeu pedido feito pela 9ª Delegacia Territorial da Boca do Rio, em Salvador.

A falsa jurista encontra-se custodiada, atualmente, na Diretoria Estadual de Investigações Criminais (Deic) em Florianópolis (SC). 

O inquérito instaurado pela 9ª DT/Boca do Rio foi concluído e encaminhado para a Justiça, em outubro de 2020, com indiciamento da suspeita.

O CASO - Em setembro de 2020, o Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) deferiu a primeira liminar em desfavor da jurista Cátia Regina Raulino, em ação movida por ex-aluno que a acusa de ter plagiado um trabalho de conclusão de curso.

Em decisão liminar na época, a juíza Regina Helena Santos e Silva, determinou, em 15 dias, a retirada de circulação do texto pertencente ao agora advogado, sob pena de multa de R$ 5 mil. A prisão preventiva foi pedida pelo delegado ACM Santos. 

A suposta professora de Direito e falsa jurista Cátia Raulino é alvo de denúncias de plágio e exercício ilegal da profissão. 

* com informações da repórter Yasmin Garrido

Matérias relacionadas:
Suposta jurista, Cátia Raulino presta depoimento na delegacia da Boca do Rio

Alunos avaliados por Cátia Raulino poderão ter que refazer banca de mestrado

Cátia Raulino é ouvida novamente pela Polícia e não apresenta diplomas pela segunda vez

Defesa da suposta advogada Cátia Raulino afirma que fatos serão esclarecidos

Além da denúncia de plágio, aluna quer que Cátia Raulino responda por estelionato

Jurista renomada é investigada por plágio e exercício ilegal da advocacia em Salvador

Advogado de suposta jurista diz que ela vai se apresentar à Polícia Civil: Ela vai comprovar tudo

MP-BA solicita abertura de inquérito policial contra jurista por exercício ilegal da advocacia

Classificação Indicativa: Livre