Justiça

Milton Ribeiro diz ter recebido ligação de Bolsonaro: 'Ele acha que vão fazer uma busca e apreensão'

Reprodução

MPF solicitou que as investigações sobre o caso sejam enviada ao Supremo Tribuna Federal por suspeitar de interferência de Bolsonaro

Publicado em 24/06/2022, às 16h01    Reprodução    Redação

O ex-ministro da Educação Milton Ribeiro disse, em conversa com uma filha no dia 9 de junho, ter recebido uma ligação do presidente Jair Bolsonaro (PL). No diálogo, o presidente dizia temer ser atingido pela investigação da Policia Federal contra Ribeiro.

"A única coisa meio... hoje o presidente me ligou... ele tá com um pressentimento, novamente, que eles podem querer atingi-lo através de mim, sabe? É que eu tenho mandado versículos pra ele, né?", disse Ribeiro para a filha, segundo a reportagem do G1. O trecho está em investigação da Polícia Federal.

"Ele quer que você pare de mandar mensagens?", pergunta a filha. "Não! Não é isso... ele acha que vão fazer uma busca e apreensão... em casa... sabe... é... é muito triste. Bom! Isso pode acontecer, né? Se houver indícios, né?", afirmou o ministro.

Leia mais:

Estupro em SC: Suspeito de engravidar menina teria 13 anos

Procurador que agrediu a chefe durante expediente é preso em hospital psiquiátrico; assista

Ministério Público Federal abre inquérito para apurar aumento abusivo na Petrobras

Com a suspeita de que o presidente Bolsonaro tenha interferido na investigação, o Ministério Público Federal (MPF) solicitou à Justiça que a investigação sobre o ex-ministro da Educação Milton Ribeiro seja enviada para o Supremo Tribunal Federal (STF). O MPF justifica o pedido com base em interceptações telefônicas de Milton Ribeiro que indicam a possibilidade de vazamento das apurações do caso.

O advogado Daniel Bialski disse para Andréia Sadi que ainda não teve acesso a todo o processo. E que, se há a citação ao foro privilegiado, a prisão de Milton Ribeiro deveria ter sido decretada pela primeira instância e o caso ter sido remetido antes ao Supremo Tribunal Federal. O Palácio do Planalto ainda não se manifestou sobre o assunto.

Investigação

A Justiça Federal de Brasília encaminhou a investigação sobre o ex-ministro da Educação, Milton Ribeiro, para o Supremo Tribunal Federal (STF) atendendo a um pedido do MPF. A solicitação foi baseada em conversas gravadas com autorização da justiça. Segundo os promotores, elas indicam a interferência de Jair Bolsonaro na investigação de um esquema de liberação de verba da educação.

Trechos dessas convesas estão em destaque na decisão do juiz Renato Borelli, da 15ª Vara de Justiça Federal de Brasília. Veja a transcrição:

Conversa com uma pessoa identificada como Waldomiro:

MILTON RIBEIRO: Tudo caminhando, tudo caminhando. Agora... tem que aguardar né.... alguns assuntos tão sendo resolvidos pela misericórdia divina né...negócio da arma, resolveu... aquele... aquela mentira que eles falavam...que os ônibus estavam superfaturados no FNDE... pra... (ininteligível) também... agora vai faltar o assunto dos pastores, né? Mas eu acho assim, que o assunto dos pastores... é uma coisa que eu tenho receio um pouco é de... o processo... fazer aquele negócio de busca e apreensão, entendeu?

Conversa com uma pessoa identificada como Adolfo:

MILTON: (...) mas algumas coisas já foram resolvidas né... acusação de que houve superfaturamento... isso já foi... agora, ainda resta o assunto do envolvimento dos pastores, mas eu creio que, no devido tempo, vão ser esclarecidos....

Conversa com um familiar:

MILTON: Não! Não é isso... ele acha que vão fazer uma busca e apreensão...em casa... sabe... é... é muito triste. Bom! Isso pode acontecer, né? se houver indícios né...

Classificação Indicativa: Livre