Economia

Confira 10 dicas para economizar na conta de luz em casa

Fernando Frazão/Agência Brasil

O engenheiro eletricista Haroldo Freire informou ao BNews quais são as principais dicas para reduzir o consumo energia

Publicado em 13/12/2021, às 06h22    Fernando Frazão/Agência Brasil    Beatriz Araújo

A pouco mais de uma semana para a chegada do verão, que inicia no dia 21 de dezembro, é preciso estar atento às dicas para redução do consumo de energia dentro de casa. Isto porque, em razão das altas temperaturas registradas nesta época do ano, a procura por equipamentos que possam refrescar o dia e evitar o calor, como, por exemplo, ar condicionado e ventiladores, costuma ser maior, fato que incide no valor da conta de luz.

De acordo com a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), no verão, a conta de luz chega a ficar até 8,6% mais cara. Em entrevista ao BNews, o engenheiro eletricista e consultor na área de engenharia elétrica, Haroldo Freire, informou quais são as estratégias para reduzir o consumo de energia e driblar o encarecimento das contas.

Confira 10 dicas básicas de economia de energia:

1. Evite gambiarras

De acordo com o engenheiro eletricista, a disponibilidade do aumento de conexões de aparelhos em uma tomada é perigosa, e aumenta o consumo de energia. “Não vamos exagerar no uso de extensões e benjamins com vários tipos de equipamentos. Isso para evitar acidentes e também em prol do consumo de energia”, explica Freire.

Segundo o técnico em eletrônica e técnico eletrotécnico, essas gambiarras geram um aquecimento nas conexões que refletem na conta de luz. “Além disso, a depender dos equipamentos conectados, pode aquecer tanto, que pode se transformar em um acidente”, alerta. “A dica é também usar benjamins e extensões em equipamentos de baixo consumo de energia e se limitar a uma extensão e um benjamim apenas, e não ficar multiplicando eles”, orientou.

2. Utilize lâmpadas LED

A substituição de lâmpadas incandescentes por lâmpadas LED ou florescente também podem auxiliar na redução do consumo de energia elétrica. Isto porque, de acordo com Freire, na emissão da luz pelo LED, a corrente que trafega é baixa e traz uma intensidade luminosa muito grande, enquanto no caso de uma lâmpada incandescente, a corrente é mais alta, o que torna o consumo bem maior.

“Nas lâmpadas LED, há baixa passagem de corrente, e por isso um menor consumo. Já nas lâmpadas incandescentes, há uma alta passagem de corrente, e por isso é maior o consumo de energia”, aponta o engenheiro.

3. Manter geladeira longe do fogão

“A geladeira deve estar em um lugar ventilado, arejado, longe de fogão e longe de locais quentes. Deve estar afastada no mínimo uns 10cm da parede, a parte dos fundos, para ter um ‘respirar’”, instruiu Freire. Além disso, segundo o engenheiro, é importante verificar se as borrachas da porta da geladeira estão todas fixadas, já que podem gerar algum vazamento. “Esses problemas fazem com que a geladeira opere mais tempo e consuma mais energia”, disse.

Outra orientação por parte do consultor está relacionada a um costume bem comum dentro dos lares que é o de colocar a toalha atrás da geladeira para secar mais rápido. Entretanto, segundo o engenheiro eletricista, isso dificulta a troca de calor do equipamento e faz aumentar o consumo de energia.

4. Retirar carregador da tomada

O consultor em engenharia elétrica informou que aparelhos como carregador de celular e notebook, apesar de terem um baixo consumo de energia, a longo prazo costumam interferir significativamente na conta de luz, por isso devem ser retirados da tomada. A mesma fica vale para microondas e televisão. Além disso, aparelhos como tablets, kindle (livro eletrônico), devem ser mantidos desligados quando não estiverem sendo utilizados.

“É importante que você tenha um uso consciente desses equipamentos. Se você não está usando, desligue, porque eles são carregados pela energia convencional e se você deixar ele de modo em standby, ou você deixar ele só com a tela apagada e ele ficar processando por traz disso tudo, ele vai descarregar mais rápido e você vai ter que carregar ele mais rápido. Então, você pode economizar energia desligando esses aparelhos para que demore o tempo de recarga”, argumenta Freire.

5. Evitar usar chuveiro em temperaturas muito quentes

“Tem pessoas que gostam de tomar banho muito quente. Uma forma de economizar energia é não tomar banho tão quente, mas sim quebrando a frieza, que atende e gasta menos energia. Você tem três posições no seu chuveiro e costuma tomar banho na posição 2, ou no 3, você agora parte para a posição 1, onde a potência é mais baixa e tem um consumo de energia menor. Não fica pegando fogo a água, mas vai ficar branda, e como estamos no verão, que é calor, a dica é perfeita”, sugere o engenheiro.

6. Atenção à temperatura do ar condicionado

Conforme orientou Freire, a temperatura do ar condicionado também varia o valor cobrado na conta de luz. “Quanto mais você força o equipamento a produzir uma temperatura que você deseja, isso vai ter um consumo maior de energia, então o ideal é você utilizar até o 23, que é uma temperatura muito agradável, e você consegue reduzir o consumo de energia. Se você forçar ele para 16º, que é o mínimo que ele fornece, isso vai ter uma força maior dos materiais do ar-condicionado, aumentando o consumo de energia”, relatou.

7. Verificar cabos e disjuntores

“A atenção dada à instalação elétrica é bem baixa, a gente costuma não se dedicar a isso, mas a parte de embelezamento da casa é o que a gente mais se preocupa. Então, esse é um ponto de atenção que a gente tem que ter. É interessante alguém dar uma verificada nos disjuntores que protegem toda a instalação elétrica da casa, ver como eles estão, se estão dimensionados corretamente, se estão sem ponto quente, sem pontos de folga, porque tudo isso aumenta o consumo de energia e a possibilidade de acidentes”, informou o especialista.

8. Evite passar roupas separadamente

Um volume de roupa maior evita a variação da temperatura do ferro, o que também pode aumentar o valor cobrado na conta de luz. “Se você acumula as roupas e utiliza o ferro em um período único, preferencialmente, isso já reduz o consumo de energia”, afirma Freire.

A dica relacionada ao volume de roupas é também útil para o caso da máquina de lavar. “É interessante você sempre usar a máquina de lavar no seu máximo potencial, evitar o nível 1, nível 2, juntar as roupas e utilizar sempre no máximo o potencial da máquina, porque aí você também reduz o consumo de energia”, emendou o técnico eletrotécnico.

9. Se vai viajar, deixe apenas a geladeira ligada

“Tem aparelhos que quando ocorre queda de energia, ele liga, e fica consumindo energia. Então, é interessante, em viagens longas, deixar só a geladeira ligada. Tire tudo o que puder da tomada por causa de quedas de tensão. Pode ter uma queda de energia no local e no retorno, pode ter alguma avaria, alguma situação que venha a deixar algum equipamento ligado e pelo tempo que você ficar fora, ele vai ficar consumindo energia”, inteirou Freire.

10. No verão, dê preferência a elementos naturais

Ainda segundo o consultor, com o aumento do consumo de energia no verão, elementos naturais, como o vento, através das janelas abertas, e a luminosidade ambiente, por meio da luz do sol, devem ser aproveitados o máximo possível como forma de evitar acréscimos na conta de luz.

“Se você mora em casa e você puder ter telhados que facilitem a iluminação, janelas abertas, e evitar ao máximo, ou até onde você pode, a luz artificial, gera uma redução de energia”, propôs.

Programa de desconto do governo federal

Haroldo Freire relembrou, ainda, a existência de um programa lançado pelo governo federal, no último dia 31 de agosto, para garantia de descontos na conta de luz a consumidores em residências e pequenos negócios, que reduzirem de forma voluntária o consumo de energia.

“Se você tiver uma redução mínima de 10% e máxima de 20% no consumo, no período de setembro a dezembro, em comparação ao ano anterior, você recebe um valor de desconto na conta”, finalizou o engenheiro eletricista.

Acompanhe o BNews também nas redes sociais através do Instagram, do Facebook e do Twitter.

Classificação Indicativa: Livre