Política

CPI da Coelba tem data marcada para ser instalada; empresa se posiciona

Arquivo BNews

Coelba afirmou que recebe com surpresa à medida

Publicado em 18/11/2021, às 14h13    Arquivo BNews    Tamirys Machado

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) será instalada na próxima semana na Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), após o parecer favorável da Procuradoria-Geral. No dia 9 de novembro, o pedido para abertura da CPI que vai investigar a Coelba foi publicado no Diário Oficial. 

Nas justificativas para abertura da CPI, o deputado TUM (PSC), autor da proposta, cita a pouca transparência na composição dos preços cobrados aos baianos, além dos "prazos e custos nas solicitações de ligação, exigindo, sobretudo dos grandes consumidores, valores milionários para viabilizar o fornecimento de energia".

Relacionadas:

CPI da Coelba: após pressão, empresa recua de reunião fechada com deputados

CPI da Coelba: Líder do PT diz que presidente da AL-BA garantiu instalação

CPI da Coelba: Líder da oposição não assina documento, mas considera pedido “legítimo”

Em nota à imprensa, a Coelba afirmou que recebe com surpresa à medida “uma vez que seus representantes sempre estiveram à disposição para participar de debates construtivos no intuito de dirimir dúvidas e embasar opiniões”.

“A Neoenergia Coelba recebe com serenidade e respeito a decisão da Assembleia Legislativa da Bahia. No entanto, a companhia se surpreendeu com a medida, uma vez que seus representantes sempre estiveram à disposição para participar de debates construtivos no intuito de dirimir dúvidas e embasar opiniões. A despeito da discordância, a empresa presume que o ambiente será oportuno para o esclarecimento de informações que estão sendo disseminadas de forma distorcida. Adicionalmente, a distribuidora terá a possibilidade de reafirmar os valores de honestidade, integridade e ética que sempre pautaram a sua atuação. A Neoenergia Coelba reitera o compromisso com a sociedade e espera participar de discussões propositivas no sentido de melhorar seus serviços e atender as expectativas dos seus clientes”, diz a nota. 

LEIA TAMBÉM: 

A CPI contou com a assinatura de 40 deputados. Entre os argumentos, estão “a falta de um plano de expansão da rede, o que tem inviabilizado novas ligações elétricas do programa Luz para Todos e a implantação de grandes empreendimentos, que poderiam estar gerando emprego, renda e impostos na Bahia”, justificou o parlamentar. 

Acompanhe o BNews também nas redes sociais, através do Instagram, do Facebook e do Twitte

Leia Mais:

Após temporal com ventania, região da Av. Tancredo Neves fica sem energia elétrica

Deputados acionam a Justiça para pedir instalação de CPI da Covid

r

Classificação Indicativa: Livre