Justiça

Família de barbeiro morto no Imbuí realiza protesto em frente à delegacia

Reprodução / Redes Sociais

Barbeiro foi morto no dia 24 de janeiro, no Imbuí

Publicado em 23/02/2021, às 12h39    Reprodução / Redes Sociais    Brenda Viana

Familiares de Lucas Souza de Araújo, de 29 anos, realizaram um protesto, no início da tarde desta terça-feira (23), em frente à delegacia do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) para pedir a prisão preventiva dos suspeitos que mataram o barbeiro no dia 24 de janeiro, no Imbuí, em Salvador.

Segundo um dos advogados da família durante entrevista ao Balanço Geral, o advogado José Geraldo Lucas Júnior, de 27 anos, não deveria ficar solto na sociedade. "Tem todos os indícios de autoria. Uma pessoa dessa não pode ficar solto na sociedade. Estamos afirmando isso desde o dia que ele foi preso", comentou. Ele reiterou dizendo que espera que a qualquer momento a prisão preventiva do suspeito possa sair, porém, José ainda está sob prisão temporária. 

Já o outro advogado dos familiares, diz que o suspeito, após sair da prisão preventiva, pode ficar no Batalhão da Choque, em Lauro de Freitas, pois ele tem ensino superior. Já o outro suspeito, identificado como Jean, deve seguir para o presídio, pois não tem nenhuma formação superior.

O caso

No dia 24 de janeiro, o barbeiro Lucas Souza de Araújo, de 29 anos, foi morto por disparo de tiros dentro de um bar localizado no bairro do Imbuí, em Salvador. O suspeito, José Geraldo Lucas Júnior, 27, que é advogado, seria o principal suspeito pelo assassinato. Após ser preso, José afirmou que estava armado porque teria recebido supostas ameaças de morte.

Leia também:

Justiça nega revogação de prisão preventiva e domiciliar de advogado que matou barbeiro no Imbuí

Veja o momento em que advogado atira em barbeiro no Imbuí

Caso Imbuí: Defesa confirma autorização da posse da arma de advogado apontado como autor de homicídio

Advogado acusado de matar barbeiro no Imbuí pode perder registro na OAB-BA

Defesa de barbeiro morto contesta depoimento de advogado e diz que versão é contrária às provas

Classificação Indicativa: Livre